empresa
História
A SEVES é a integração, realizada no período de dez anos, a partir do gerenciamento externo da Vetroarredo, em março de 1997, de todas as atividades da Vetroarredo, Sediver, PPC Insulators e Isoladores Santana, grupos industriais com história e liderança reconhecidos em todo o mundo. A Seves é muito mais que a soma das empresas que a compõem.
Cada uma das empresas que constituem a Seves possui uma longa e fascinante história por trás de si: as origens do Vetroarredo remontam a 1928, em Florença, quando por iniciativa do príncipe Piero Ginori Conti, nasce o “Instituto Experimental para o Estudo e Aplicação dos Produtos de Boro e Silício”, protagonista de uma das experiências de mais alto empenho qualitativo: o vidro ótico.
Em 1940, o instituto começou a fazer parte do mais importante Grupo industrial público italiano, o IRI, interessado nas produções óticas militares para a Marinha e assumiu o nome de S.a.i.v.o.
No pós-guerra, a empresa estendeu as suas produções aos revestimentos vítreos (mosaicos), aos esmaltes para cerâmica e aos vidros de mesa.
Em 1990, depois de 50 anos de gestão pública, a sociedade foi privatizada pela Fidenza Vetraria, histórica indústria italiana que contribuiu de forma relevante para escrever a história do vidro na Itália, cotada na Bolsa de Milão e especializada na produção de isoladores em vidro (através da controlada Sediver SA), vidros de mesa e vidros para a iluminação. Para estas produções de qualidade, a Fidenza Vetraria tinha flanqueado desde os anos 20 aquela do bloco de vidro, melhor conhecido com os nomes de “tijolo de vidro” e “vidrocimento”.

Exatamente do bloco de vidro, cuja produção foi transferida em 1991 para Florença na fábrica ex S.a.i.v.o., iniciou a aventura da Vetroarredo. Graças à determinação do gerenciamento, que em março de 1997 realiza, com o suporte do Private Equity, o gerenciamento externo na sociedade florentina, a nova realidade perseguiu uma ação constante de desenvolvimento por agregação e inovação. No curso dos anos 90 foram identificadas as atividades relativas à produção de corpos que se iluminam no vidro da Vetreria Lodi, empresa com cem anos de história e do grupo de vidraçaria Glaverbel a sociedade tcheca Vitrablok, especializada na produção de blocos de vidro e forte na tradição de vidraçaria boêmia.

Em 2001, estendendo a própria atividade no setor dos isoladores de vidro para as linhas elétricas de transmissão e distribuição de energia elétrica, é adquirida a Dielve, sociedade italiana entre as mais qualificadas produtoras mundiais no setor de isolamento elétrico e com uma sociedade controlada na China, para a montagem de isoladores de vidro, a Dielve Tianjin Insulators, em JV com o Parceiro local.

A aquisição em 2002 da Sediver SA, a líder global no setor de isolamento das linhas de transmissão de energia elétrica e no início dos anos 90, a única acionista da Vetroarredo, decreta o nascimento do grupo Vetroarredo Sediver que, sucessivamente, tomou o nome de Seves.
As origens da Sediver remontam a 1898; em 1929, iniciou a primeira produção de isoladores de vidro e foi constituída uma sociedade ad hoc, a Electro Verre.
Em 1947, graças à aplicação da têmpera térmica nos isoladores, foi obtido um produto de características excepcionais, que decretou o sucesso internacional da empresa.

Dez anos mais tarde, iniciou a produção em linhas automatizadas e em 1959, com a fusão entre a Electro Verre e Charbonneaux, a sociedade assumiu o nome de Sediver.
Depois de conquistado o mercado francês dos isoladores, a Sediver inicia o seu percurso de internacionalização com uma ampla rede comercial e nos anos 70 constitui a filial brasileira Electrovidro, com uma importante instalação de produção a poucos quilômetros do Rio de Janeiro. No mesmo período também são iniciadas novas produções, entre elas aquela dos isoladores em composto (silicone) para aplicações especiais.
Em 1993, enfim, a Sediver se instala na China através da constituição de duas Joint Ventures: Zigong Sediver para a montagem de isoladores de vidro e a fundição Zigong Safam.
Em 2003, a Seves anuncia a subscrição de um acordo de Joint Venture com a Shanghai Glass Co.Ltd para a construção de uma vidraçaria, com as tecnologias mais avançadas na área de Xangai para a produção de vidros para isoladores; a inauguração acontece em novembro de 2004, depois de apenas sete meses do início dos trabalhos.

Em 2005, a Seves anuncia a aquisição da Saint Gobain Oberland di Solaris, sociedade alemã especializada na produção de blocos de vidro com alto conteúdo tecnológico.

Em 2006, a serviço do espetacular crescimento dos investimentos em infra-estrutura elétrica na China, a Seves inicia uma nova iniciativa industrial em Tianjin, preparando uma nova sociedade de produção para isoladores em composto, que iniciará a produção em fevereiro de 2007; em abril de 2007, é colocada a primeira pedra de uma nova fábrica de montagem de isoladores de vidro em Xangai, no mesmo perímetro no qual surge a vidraçaria, que se prevê iniciar a produção em janeiro de 2008.

Em julho de 2007, o crescimento continua com a aquisição, em rápida sucessão, da PPC Insulators e Isoladores Santana.

A PPC Insulators, o segundo operador global por dimensão no isolamento elétrico em cerâmica (7 unidades de produção das quais 2 na Alemanha, 1 na Áustria, 1 na Suécia, 1 na Eslováquia, 1 na Tailândia e 1 em fase de construção na China, além de um centro de montagem e distribuição nos EUA) e com uma reputação de excelência em todo mundo, está particularmente ativa nos segmentos de geração de energia elétrica (subestação) e na transmissão de eletricidade em alta voltagem e detém uma posição de prestígio no mundo dos OEMs.
O grupo PCC Insulators nasce em 2001, com o suporte do Private Equity, graças à fusão entre a sociedade americana Porcelain Products Inc., um dos principais produtores, de longa data nos EUA, de isoladores em porcelana para as linhas de transmissão e distribuição de eletricidade, de baixa e média voltagem e o grupo europeu Ceram, formado nos anos 80 e 90, através da união de diversas e prestigiosas sociedades operantes por várias décadas na produção de aparelhos isoladores para alta voltagem e subestações. Entre estas também a sociedade sueca IFO, que nos anos 70 desenvolveu a tecnologia “Isostatic” que para algumas aplicações oferece numerosas vantagens em relação à tecnologia convencional.

Isoladores Santana é a líder indiscutível na produção de isoladores em porcelana no crescente mercado brasileiro, com 4 unidades de produção em Pedreira, no estado de São Paulo e uma história de sucesso que tem 60 anos. A gama de oferta da Santana também é muito ampla e satisfaz a demanda de isolamentos elétricos nas diversas fases (geração, transmissão e distribuição de eletricidade). As vendas prevalecem voltadas ao mercado interno e as exportações são dirigidas, acima de tudo, para a América do Norte.